Agregando notícias #9

Leis serão alteradas para ajuste à Convenção Internacional

Uma boa notícia e um bom precedente. A terminologia de quatro leis pode ser alterada para ajuste à Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, deixando de utilizar o termo “Pessoa Portadora de Deficiência” e adotando “Pessoa com Deficiência.

As leis que serão revistas são as Leis nºs 8.989/95, que regula a isenção de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) na compra de veículos por pessoas com deficiência; a 9.503/97, que institui o Código de Trânsito Brasileiro; a 10.048/00, que confere as prioridades de atendimento; e a Lei nº 10.098/00 que estabelece as normas de acessibilidade para pessoas portadoras (sic) de deficiência.

acessibilidadeEste processo de mudança representa um grande avanço. Como sabemos, a vida e os direitos das pessoas são realmente afetados pela maneira como a lei é redigida. Não se trata de um preciosismo teminológico. É o que vimos no post Quem a Lei de Cotas inclui?, de 31 de maio de 2012, no qual comentávamos o artigo de Ana Maria Machado da Costa.

O que a autora defende em seu artigo é a inclusão das pessoas com transtornos mentais nas cotas para empregos nas empresas, relativas ao Artigo 93 da Lei 8.213/91. Neste sentido, se houvesse, além das mudanças propostas, a adequação do Decreto nº 5.296/04 às novas terminologias propostas pela Convenção Internacional, o Brasil daria um passo pioneiro na inclusão social de pessoas através do trabalho. Isto significaria a adoção, segundo a definição da Convenção, do termo “deficiência intelectual” separadamente do termo “deficiência mental”. Esta distinção permitiria acesso de muitas pessoas com transtornos mentais ao mercado formal de trabalho através da Lei de Cotas, pois segundo este entendimento, as barreiras sociais e atitudinais impostas ao indivíduo também são determinantes da deficiência.

Por enquanto a adequação terminológica não é tão profunda, mas como dissemos a mudança abre um precedente importante que deve ser aprimorada tão logo seja possível.

Para ler o artigo de Ana Maria Machado da Costa, acesse: <http://www.redeagrega.com/#!artigos>

Malas fotografadas mostram os pertences de pacientes psiquiátricos

As malas foram descobertas no Centro Psiquiátrico de Willard, no Estado de Nova Iorque, e perteceram a pessoas que foram internadas entre o início do século XX e a década de 1960.

Willard Asylum Suitcases - 2012 Jon CrispinQuando o Estado fechou o hospital, em 1995, muitas coisas foram descobertas, entre elas as malas que o fotógrafo Jon Crispin está documentando. O resultado do trabalho é a construção de um acervo que já esteve em exibição em alguns museus dos Estados Unidos e que você também pode ver, através do blog do fotógrafo na página: <http://joncrispin.wordpress.com/tag/willard-suitcases/>

Mais informações: <http://www.hypeness.com.br/2013/02/serie-de-fotos-mostra-o-que-pacientes-hospital-psiquiatrico-levavam-na-mala/>

Cidades litorâneas entram na onda da praia com acessibilidade

praiaacessivel3Depois que um projeto em Fernando de Noronha fez sucesso, parece que a moda da acessibilidade nas praias resolveu pegar. Praias do Rio de Janeiro, Bertioga, Guarujá, Mongaguá, Itanhaém e de Santos também adotaram medidas para tornar o lazer nas praias acessível para as pessoas com deficiência. Vamos ficar de olho para ver se os governos manterão o projeto nos próximos verões.

Enquanto isso, a ONG Projeto Caravela desenvolveu, durante o mês de janeiro, um projeto para que pessoas com deficiências participassem de passeios em trilhas subaquáticas na Ilha Anchieta, litoral norte do Estado de São Paulo.

São Paulo amplia isenção de imposto para carros de Pessoas com Deficiências

Os motoristas que dirigem para pessoas com deficiência e pessoas com autismo serão beneficiados com a isenção do pagamento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) da venda de carros zero quilômetro no valor de até R$ 70 mil. Até então, a isenção contemplava apenas pessoas com deficiência capazes de dirigir o próprio veículo.

Segundo Cristiano Gomes, diretor de projetos da Laramara, Associação Brasileira de Assistência ao Deficiente Visual, em entrevista ao Diário de S.Paulo, “A mudança é um grande avanço porque principalmente os jovens com deficiência dependiam exclusivamente do transporte público. Com a isenção, a família pode comprar um veículo e esse jovem poderá ir ao cinema ou ao teatro com maior comodidade”.

Até três condutores podem ser indicados para dirigir o veículo, que deve ser registrado no Detran em nome da Pessoa com Deficiência. Para pedir a isenção é preciso ir até uma unidade da Secretaria Estadual da Fazenda e levar o laudo médico que comprova a deficiência ou autismo, além de comprovante de renda compatível com o valor do carro e cópia das habilitações dos condutores.

Agregando notícias #8

GRANDE NOTÍCIA:
Benefícios para pessoas com deficiência agora contemplam pessoas com autismo

Uma nova lei, a Lei nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012, assegura novos direitos às pessoas com autismo, sobretudo nos serviços de saúde, educação, assistência social, nutrição, moradia, trabalho, previdência e também, no que diz respeito ao acesso ao mercado de trabalho.

JNA partir de agora, as pessoas com autismo podem compor as cotas para deficientes que nas vagas de trabalho que as empresas precisam reservar para o cumprimento da Lei de Cotas (Lei nº 8.213/91). Em seu Artigo 1º, Parágrafo 2º, a nova lei diz “A pessoa
com transtorno do espectro autista é considerada pessoa com deficiência, para
todos os efeitos legais”.

Esta notícia é importante porque a nova lei representa um grande avanço no reconhecimento dos direitos das pessoas com algum tipo de transtorno mental.

Veja o vídeo e leia a reportagem do Jornal Nacional em: <http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2013/01/lei-equipara-pessoas-com-algum-tipo-de-autismo-aquelas-com-deficiencia.html>

Empresas inclusivas ganham benefícios com novo acordo

Um acordo firmado em dezembro de 2012, entre a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de São Paulo (SRTE/SP), o Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios do Estado de São Paulo (Sincovaga) e o Sindicato dos Comerciários de São Paulo, vem facilitando a inclusão de pessoas com deficiências no mercado de trabalho.

As empresas que precisam cumprir a Lei de Cotas passam, com este acordo, a trabalhar com prazos e metas, facilitando o trabalho de inclusão e evitando multas. “A partir da assinatura, os prazos serão: 30% da cota em 6 meses; 60% em 12 meses; 80% em 18 meses e 100% da cota em até dois anos”.

A contrapartida vem em forma de capacitação profissional das pessoas com deficiências que trabalharão nas próprias empresas, além de atendimento às necessidades de acessibilidade para que o trabalhador possa desempenhas as suas funções.

Além disso, “O acordo também prevê a troca de informações sobre vagas disponíveis e cadastro de currículos, ampliando as condições de captação da mão de obra”.

Leia a reportagem na íntegra na Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, em: <http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,EMI330505-17180,00.html>

Fernando de Noronha acessível

NoronhaA acessibilidade chegou em Fernando de Noronha. Recentemente, o governo do estado de Pernambuco anunciou a conclusão da construção de uma trilha acessível até a praia do Sueste. Além disso, a praia também foi equipada com cadeiras anfíbias, banheiros acessíveis e esteiras para acesso dos cadeirantes ao mar e conta com monitores treinados para auxiliar o mergulho das pessoas com deficiência.

Além do Sueste, há estudos para viabilizar acessos em outras três praias de Noronha. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, “Dentro do Parque Nacional Marinho, administrado pela concessionária Econoronha, (…) foram construídos 4.500 metros de trilhas que podem ser vencidas por um cadeirante e que levam à contemplação de símbolos do arquipélago como o Morro Dois Irmãos e ao ponto de apreciação de golfinhos”.

Veja a reportagem completa em: <http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1226608-fernando-de-noronha-faz-mudancas-para-ser-acessivel-a-turistas-com-deficiencia.shtml>.

Cadeirantes com mais mobilidade nos aviões

Skycare ChairCriada por Brian Liang, um estudante de desenho industrial, a Skycare Chair promete resolver alguns embaraços que os cadeirantes sofrem quando desejam fazer uma viagem aérea.

A cadeira de rodas para uso em aeronaves possui uma alavanca de controle frontal e por isso é mais estreita do que as cadeiras convencionais. Além disso, não possui braços (o que facilita a transferência do usuário entre a cadeira e os assentos) e pode ser armazenada nos compartimentos de bagagem.

Mais informações, acesse: <http://turismoadaptado.wordpress.com/2013/02/07/cadeira-de-rodas-especial-para-utilizacao-de-forma-independente-a-bordo-de-aeronaves/>

Qualificação profissional para pessoas com deficiências

Está sendo estudada a possibilidade de formalização de convênio para criação de cursos de qualificação profissional para pessoas com deficiências. Os envolvidos são o Sindicato da Indústria da Construção do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) e a unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) de Itu (SP), uma unidade conhecida pela inovação no trabalho de acessibilidade. O objetivo é “criar uma metodologia de ensino e um calendário de cursos (…). Há ainda a possibilidade de treinar multiplicadores, que poderão disseminar pelo Estado os ensinamentos que adquirirem.” Estamos na torcida.

Fonte: <http://www.piniweb.com.br/construcao/carreira-exercicio-profissional-entidades/programa-promove-qualificacao-de-pessoas-com-deficiencia-277715-1.asp>

Botos da Amazônia ajudam na terapia de crianças com deficiências

bototerapiaA bototerapia, como é chamada, se propõe a levar os jovens com deficiências para interagirem com os botos, parentes dos golfinhos que habitam rios da Amazônia. O objetivo é ajudar a melhorar a autoestima desses jovens e funciona como complemento às terapias tradicionais.

Além disso, a atividade é de baixo impacto ambiental e ajuda na conscientização da importância da preservação do meio ambiente.

Mais informações: <http://g1.globo.com/natureza/noticia/2012/08/terapia-com-botos-ajuda-tratar-criancas-deficientes-na-amazonia.html>

Crianças com autismo podem apresentar melhoras significativas, diz estudo

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos estudou 34 crianças diagnosticadas com autismo e observou que os sintomas destes indivíduos desapareceram quando eles atingiram a idade adulta.

A pesquisa foi financiada pelo Instituto Americano de Saúde Mental e, segundo Thomas Insel, diretor do Instituto, “Embora o autismo geralmente persista durante toda a vida, esta descoberta permite pensar que esta síndrome poderia experimentar evoluções muito diversas”. Entretanto, os mecanismos do autismo ainda são pouco conhecidos e novas pesquisas são necessárias para ajudar a determinar os fatores que determinam a evolução do quadro, assim como a persistência de certos sintomas em algumas pessoas.

Fonte: <http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2013/01/21/internas_cienciaesaude,419092/sintomas-de-autismo-desaparecem-em-algumas-criancas-quando-elas-crescem.shtml>

2013 chegou, já trazendo desafios!

*Marta Gil

Pois é, nem bem terminaram os fogos de artifício, brindes, oferendas encarregadas de transmitir nossos sonhos e desejos para o ano novinho em folha e já nos deparamos com desafios, todos de grande monta.

Logo no dia 2, o primeiro número da Revista Veja (ed. 2302, p. 221) trouxe a crônica “O ano das criancinhas mortas” de Lya Luft. A autora, após alertar os leitores que não se sente qualificada para falar sobre o tema que ela mesma escolheu – os terríveis assassinatos de crianças ocorridos nos Estados Unidos – de maneira sucinta construiu o raciocínio de que crimes de tal desumanidade só poderiam ser cometidos por doentes mentais. E fez uma ligação perigosa entre tais crimes e a inclusão escolar de pessoas com deficiência intelectual. Confundiu deficiência com doença. E expressou a opinião de que a inclusão, forçada, gera uma necessidade de adaptação que pode estar acima dos limites das pessoas com deficiência e que pode torná-las infelizes e perigosas(1).

Dia 9, o jornal O Estado de São Paulo publicou notícia sobre decisão judicial que determinava a realização de laqueadura em uma mulher de 27 anos, residente em Amparo, SP, pessoa com deficiência intelectual e que anteriormente tinha expressado o desejo de ser mãe.

No dia 21, lemos que o Tribunal Regional do Trabalho da 2.a Região isentou uma empresa de multa, porque “não pode ser penalizada por não ter preenchido todas as vagas destinadas a deficientes físicos e reabilitados, se esta tentou preencher a cota e não conseguiu, pela precariedade e carência de profissionais reabilitados pela Previdência Social ou com deficiência”.

Estes três acontecimentos podem ser considerados inconstitucionais, pois ferem, respectivamente, os artigos 24 (Educação), 23 (Respeito pelo lar e pela família) e 27 (Trabalho e Emprego) da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, ratificada pelo Congresso Nacional (Decreto Legislativo nº 186/2008), promulgada pelo Presidente da República (Decreto nº 6.949/2009) e incorporada à Constituição Federal.

A reação rápida e decisiva veio de órgãos públicos, movimentos sociais, profissionais e familiares, que uniram forças e vozes. A laqueadura não aconteceu; Lya Luft tentou responder às muitas manifestações de repúdio e indignação (“Todo colunista corre o risco de ser mal interpretado…”) e, por último, está sendo preparado recurso solicitando revisão da isenção de multa para a empresa.

Pode vir, 2013! Estamos prontos!

*Marta Gil – consultora na área da Inclusão de Pessoas com Deficiência, socióloga, Coordenadora Executiva do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas, Fellow da Ashoka Empreendedores Sociais e colaboradora do Planeta Educação.

1. http://www.inclusive.org.br/?p=24039

Agregando notícias #7

Vem aí o DSM-5

apaO Manual de Diagnósticos da Associação Americana de Psiquiatria chega a sua quinta versão depois de anos de debates; e promete causar mais debates por muito tempo ainda. Previsto para ser lançado em maio, o DSM-5 (com algarismo arábico mesmo, diferentemente das versões I, II, III e IV), vem sendo desenvolvido desde 1999. Segundo a revista Mente Cérebro, “Ao todo, 13 grupos de trabalho ocupam-se de diversas categorias de doenças psíquicas, como ansiedades, psicoses e dependência de drogas. Os 162 membros dessa equipe são apoiados por mais de 300 outros especialistas do mundo todo.” No entanto pondera que “56%, dos membros do grupo de trabalho receberam dinheiro da indústria farmacêutica” que, só no Brasil, movimenta US$ 28 bilhões por ano.

O DSM tem grande relevância para o entendimento dos transtornos mentais, que para nós é importante, sobretudo, por influenciar a CID (International statistical classification of diseases), organizado pela Organização Mundial de Saúde e válido no Brasil.

Dentre as principais polêmicas envolvendo o DSM-5, destacam se as discussões sobre os novos critérios nosológicos. Segundo os críticos, os novos critérios reforçam a tendência medicalizante da sociedade contemporânea, o que supostamente aumentaria o número de pacientes psiquiátricos.

Novo website de vagas de trabalho para pessoas com deficiências

Lançado recentemente, o site “Vagas Inclusivas” foi criado por uma consultoria especializada em inclusão social de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, “o site entra em funcionamento contando com um banco de currículos de 25 mil profissionais com diversos tipos de deficiência (…), mais de 50% destes profissionais possuem ensino superior”, segundo o jornal Folha de S. Paulo.

Para acessar o site Vagas Inclusivas, clique em: <www.vagasinclusivas.com.br/>

Para ler a notícia da Folha de S. Paulo acesse: <http://classificados.folha.uol.com.br/empregos/1195796-site-ajuda-pessoas-com-deficiencia-a-encontrar-vaga-de-trabalho.shtml>

Pornô para cegos

O site Porn for the blind aprenseta descrições em áudio de filmes de sexo. Criado pela há cinco anos por uma ONG com o mesmo nome, a página traz uma lista de filmes narrados com grande riqueza de detalhes. A ideia é alimentar a imaginação do ouvinte.

O acesso é gratuito através do endereço: <www.pornfortheblind.org>

Fonte: Revista Mente Cérebro, Ano XIX, nº 240. <www.mentecerebro.com.br>

Bazares da AACD

76285_300A AACD está promovendo dois bazares permanentes para angariar fundos para a associação, um no Ibirapuera e outro no Lar Escola Samburá. Ano passado a AACD realizou mais de 661 mil atendimentos para pessoas com deficiências físicas.

Fonte: O Estado de S. Paulo, 27 jan. 2013, Caderno 2.

Funcionamento do Bazar: de segunda à quinta, das 09h às 16h
Local: Centro de Reabilitação AACD – Ibirapuera
Endereço: Rua Prof. Ascendino Reis, 724 – Vila Clementino

Google Maps com lugares acessíveis

O blog “Mão na Roda” disponibiliza um excelente trabalho de mapeamento de lugares acessíveis na cidade do Rio de Janeiro. Para ter acesso ao mapa, clique em: <http://maonarodablog.com.br/mapa-de-locais-acessiveis/>

Agregando notícias #6

Exposição apresenta obras de irmãos precursores do modernismo brasileiro

Os Dois Irmãos Pré-Modernistas Brasileiros é o nome da exposição que está em cartaz no Museu Afro Brasil, no parque do Ibirapuera, em São Paulo. João e Arthur Timótheo da Costa foram dois artistas negros, cariocas, que rodaram a Europa e uniram tendências estéticas que culminariam no modernismo dos anos 1920.

O trabalho dos irmãos teve grande reconhecimento. Em 1911 foram selecionados pelo Foto: Arthur Timótheo da Costagoverno para ornamentar o Pavilhão do Brasil na Exposição Internacional de Turim, na Itália. Em 1919, Arthur ajudou a fundar a Sociedade Brasileira de Belas Artes na cidade do Rio de Janeiro. Além disso, os irmãos trabalharam na decoração do Salão Nobre do Fluminense Football Club.

Segundo consta, antes de alcançar o ápice de sua carreira, João Timótheo foi acometido pela insanidade e, assim como o seu irmão, passou os últimos anos de sua vida internado no Hospício Nacional de Alienados do Rio de Janeiro.

A exposição funciona de terça a domingo, das 10h às 18h. Entrada grátis.

Messias, psicólogo e escritor conta como voltou a andar depois de ter ficado tetraplégico

Messias Fernandes tinha 14 anos quando fraturou quatro vértebras ao mergulhar em um rio. Ficou tetraplégico, superou as dificuldades e voltou a andar. Hoje é psicólogo e, no último dia 3 lançou o livro Renascendo de um Mergulho, no qual o autor trata das dificuldades na reabilitação e na superação das dificuldades e das sequelas deixadas pelo acidente.

Na matéria de Clarissa Thomé, do Estado de S. Paulo, Messias afirma que, “como psicólogo, tenta mostrar para os médicos que eles não trabalham no terreno da certeza. O discurso precisa ser técnico, mas muitas vezes o paciente não está preparado para ouvir. Alguns médicos, diante da própria impotência, usam esse discurso de que não há mais saída. Ninguém tem o direito de tirar a esperança do outro.”

Vale a pena ler a matéria na íntegra, com mais detalhes sobre a incrível história de Messias: <http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,messias-o-tetraplegico-que-voltou-a-andar-conta-sua-saga-em-livro–,964842,0.htm>

Marcelo Yuka no Caminho das Setas

Foto: Marcelo YukaMarcelo Yuka no Caminho das Setas é o nome do documentário de Daniela Broitman, lançado recentemente, que conta a vida do ex-baterista da banda O Rappa. Yuka foi atingido por três tiros em novembro do ano 2000 e ficou paraplégico, tema que é profundamente discutido no filme que, além disso, fala de trabalho, preconceito e superação.

Para ver o trailer oficial: <http://www.youtube.com/watch?v=uQcvRESAFeI>

Prevenção ainda é a melhor maneira de combater o mal de Alzheimer

Uma caminhada de cerca de 8 kilômetros por dia ajuda a combater o mal de Alzheimer e outros tipos de comprometimento cognitivo, segundo o Dr. Cyrus Raji, pesquisador do Departamento de Radiologia da Universidade de Pittsburgh, na Pensilvânia.

Segundo o Dr. Raji, uma estilo de vida ativo estimula o crescimento do cérebro, “O volume é um sinal vital para o cérebro, quando diminui, significa que as células do cérebro estão morrendo”. A pesquisa demonstrou, ainda, que pessoas ativas mantém uma boa memória por mais tempo.

Leia mais sobre esse assunto em: <http://oglobo.globo.com/saude/um-estilo-de-vida-ativo-pode-desacelerar-mal-de-alzheimer-6811027#ixzz2ECgZqeM9> e em: <http://www2.rsna.org/timssnet/media/pressreleases/pr_target.cfm?ID=508> (inglês).

O mal de Alzheimer atinge mais de 35 milhões de pessoas ao redor do mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Dilma é vaiada e, em seguida, aplaudida

Brazil's President Dilma Rousseff gestures during a news conference after a meeting with Venezuela's President Hugo Chavez at Planalto Palace in Brasilia June 6, 2011. REUTERS/Ueslei MarcelinoA presidente Dilma Rousseff foi vaiada ontem em Brasília, na 3ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (que começou no dia 3 e vai até o dia 6 de dezembro), por usar a expressão “portador de deficiência” durante o seu discurso.

Logo em seguida, Dilma pediu desculpas: “Portador não é muito humano, pessoa é, né?”, afirmou. Após a correção, ela foi aplaudida pela platéia.

Antônio Ferreira, secretário nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, minimizou o ocorrido: “A reação foi por um desejo de correção, foi pedagógica”, disse, completando que “se portasse uma deficiência, a deixaria em casa”.

Fonte: Folha de São Paulo, 5 de dezembro de 2012, Cotidiano C4. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/81993-dilma-e-vaiada-ao-usar-a-expressao-portador-de-deficiencia-em-discurso.shtml> Acesso em 5 dez. 2012.

Para saber mais sobre a 3ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, acesse: <http://www.onu.org.br/3a-conferencia-nacional-dos-direitos-da-pessoa-com-deficiencia-em-brasilia-comeca-hoje-3-em-brasilia/>

Agregando notícias #5

“Super Normais”, uma tirinha sobre humanidade e acessibilidade


“Super Normais” é uma tirinha que fala sobre questões humanas e está em circulação na internet divulgando temas sobre inclusão, cidadania e respeito aos direitos. Uma vez por mês, um grupo de amigos de Curitiba se reúne para conversar e criar as tirinhas. Segundo o perfil do grupo em uma rede social, as histórias tratam de “Filosofia, inclusão e vicissitudes da vida sob o ponto de vista de três personagens espelhados em pessoas reais, que acham que ter uma deficiência é super normal.”

O desenhista do grupo, Rafael Camargo, que não é deficiente, relata: “O que foi um soco no estômago, na verdade, foi que o que eles estavam mostrando para mim não tinha nada a ver com deficiência. Tinha a ver com respeito, com civilidade, resiliência. Eu falei: nossa isso é muito bom. É muito verdadeiro”.

Para Mirella, uma das integrantes do grupo, “Pessoas com deficiências normalmente são retratadas como super-heróis, pessoas que superaram milhares de desafios, então, são além do normal, ou como coitadinhos, dignos de pena. Então, a gente queria fazer este paralelo (…). Somos pessoas supernormais com histórias, como qualquer outra pessoa”.
Para ver mais tirinhas curta o perfil do grupo no facebook em: <https://www.facebook.com/supernormais>

Cursos do IPUB – UFRJ em especialização em Saúde MentalLogo Ipub

Até 11 de janeiro de 2013 estarão abertas as inscrições para seleção de candidatos para cursos de especialização do IPUB/UFRJ. São sete cursos:

1) Atenção Psicossocial na Infância e Adolescência;
2) Neuropsiquiatria Geriátrica;
3) Assistência a Usuários de Álcool e Drogas;
4) Clínica Psicanalítica;
5) Psiquiatria e Psicanálise com Crianças e Adolescentes;
6) Psicogeriatria
7) Terapia de Família


Seminário Anual de Saúde Mental
Acontece no Rio de Janeiro, nos dias 13 e 14 de dezembro de 2012, nos auditórios Auditórios 111 e 113 da UERJ. Veja a programação:

Dia 13/12
9h – Mesa de abertura (Auditório)
10h – Conferência “A Cidade no Cuidado ao Usuário de Saúde Mental”
13h30 – Gupos temáticos
Ações Territoriais I: Crise e Matriciamento (Auditório 111)
Ações Territoriais II: Desinstitucionalização (Auditório 113)

Dia 14/12
9h – Mesa: Análise da Gestão de Saúde Mental (2009 – 2012) e perspectivas (Auditório 111)
13h30 – Mesa: Diálogos Intersetoriais – Uso de drogas na Infância e Adolescência (Auditório 111)

Federação Brasileira de Hospitais (FBH) perde causa ao tentar censurar livro e filme que retratam a realidade dos hospitais psiquiátricos no Brasil

Uma vitória da luta antimanicomial, foi como o Conselho Federal de Psicologia (CFP) divulgou a nota que anuncia a vitória, em primeira instância, sobre o processo no qual a FBH tentava censurar a divulgação do livro “A Instituição Sinistra – Mortes Violentas em Hospitais Psiquiátricos no Brasil” e o vídeo “Tribunal nos Crimes da Paz, o Hospital Psiquiátrico no Banco dos Réus”.
A ação judicial ressalta que “O livro e o vídeo tratam de uma crítica ao atual sistema brasileiro. Ou seja, trata-se de uma crítica construtiva que não visa ofender uma instituição psiquiátrica ou um profissional específico”.
Segundo divulgado na página do CFP, o Presidente do CFP, Humberto Verona, lembrou que a decisão favorável é também uma vitória importante que anima os defensores dos direitos humanos, pois há uma tentativa de alguns setores de criminalizar aqueles que defendem as violações de direitos humanos nesse país.

Debates em torno do DSM-5 no Rio de Janeiro


Imagem

Surfista brasileiro cego ganha telas de cinema

Derek Rabelo, um jovem capixaba de 20 anos já dividiu com Kelly Slater, Gabriel Medina e Mick Fanning e se tornou protagonista do documentário “Além da Visão”, que está sendo filmado por Bruno Lemos e Luiz Werneck.

Em entrevista ao Globo Esporte, Derek contou: “Eu sempre morei perto da praia, minha família toda surfava. Chegou um momento da minha vida que eu quis surfar, quando tinha 17 anos. Eu sabia que a galera estava indo surfar e ficava na vontade. No início, foi meio complicado, estressante. Eu tentava surfar todo dia, o treinador ficava sempre à disposição. A galera me dava muita força, incentivava. E eu consegui!”
Depois de aprender a surfar, Derek quis conhecer o Havaí para tentar surfar a Pipeline, conhecida por ser uma das maiores e mais perigosas ondas do mundo. “Pipeline foi a bênção de Deus na minha vida, fiquei “amarradão” em fazer isso. Foi uma situação muito diferente, água quentinha, altas manobras. O pessoal do Havaí me deu muita força, gostaram da minha história e deram paz para que eu pudesse surfar a Pipeline. Foi um momento muito maneiro também – explica Derek, que precisa da ajuda de outro surfista para orientá-lo, gritar e empurrá-lo na hora exata de entrar na onda.”

O documentário ainda não tem data para estrear, mas você pode conferir outras histórias de Derek lendo a matéria do Globo Esporte na íntegra em: <http://globoesporte.globo.com/radicais/surfe/noticia/2012/09/cego-brasileiro-destroi-limites-surfa-em-pipeline-e-ganha-telas-de-cinema.html>

Evento em São Paulo discute as interfaces entre a Saúde Mental e a Justiça

Cartaz

Agregando notícias #4

Automóvel exclusivo para cadeirantes é lançado nos EUA

Imagem do KangarooKangaroo, como é chamado, é a novidade da indústria automobilística norte-americana. Desenvolvido exclusivamente para cadeirantes, o compacto de apenas um lugar é apresentado como solução para superar os inconvenientes da adaptação dos automóveis convencionais para as pessoas com deficiência. Além da adaptação não ser possível para todos os modelos disponíveis no mercado, ainda há um outro inconveniente: o valor do serviço chega a ser quase o mesmo preço de um carro novo.

O Kangaroo facilita o acesso do dono através de uma porta traseira e ainda é ecologicamente correto, pois é movido por um motor totalmente elétrico. Ainda não existe previsão de venda no mercado nacional, mas nos Estados Unidos a unidade custa aproximadamente US$ 25.000,00.

Centro de pesquisas do cérebro e de células-tronco será construído no Rio

O Centro de Pesquisa e Inovação em Saúde (Sautec) que será construído ao lado do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO), na zona portuária do Rio de Janeiro, será um dos centros mais avançados do mundo e custará cerca de R$ 72 milhões, além dos R$ 2 milhões mensais necessários para o seu funcionamento.

7 teslaO Sautec será o único Centro de Pesquisas do Hemisfério Sul a possuir o 7 tesla, um equipamento de ressonância magnética de última geração que produz imagens do cérebro em atividade a partir de estímulos determinados. Além disso, o Sautec também terá laboratórios para o desenvolvimento de terapias celulares e medicamentos de última geração com a finalidade de diminuir a distância entre a pesquisa acadêmica e a aplicação de seus resultados. A ideia é criar tratamentos para doenças como o Alzheimer, o mal de Parkinson e, até mesmo, criar novas técnicas de desenvolvimento da marcha, que ajudem tanto pacientes com paralisia cerebral a caminharem, quanto investiguem formas de melhorar os resultados de atletas de alto desempenho.

Inclusão social vira superação no cinema

Destacamos Colegas por dois motivos: é um filme protagonizado por três atores com síndrome de Down e, além disso, foi o vencedor do prêmio de melhor longa nacional no Festival de Gramado deste ano.

Em entrevista ao Portal Terra, o diretor Marcelo Galvão conta que se inspirou no tio Márcio, que tinha a síndrome de Down, e ressalta: “Não é um filme pretensioso, é um filme gostoso de assistir, em que você não se dá conta de que são três pessoas com síndrome de Down que estão ali. Dessa forma, ele já se torna um projeto de inclusão”.

Foto Colegas

Como sabemos, a dificuldade em trabalhar com a inclusão da diferença não é uma exclusividade só da Agrega, nem tampouco a felicidade com os seus frutos. Galvão conta que diversas empresas se negaram a patrocinar o seu projeto, pois não queriam associar as suas marcas a uma deficiência. Pior ainda foram as dificuldades que surgiram para o lançamento, depois de ter o seu filme julgado como uma “produção de nicho”. “Quando o público gosta e aplaude em pé, você vê que não é um filme de nicho”, argumenta o diretor.

Para saber mais sobre Colegas: <http://blogcolegasofilme.com/>

Mudanças nas relações trabalhistas

Uma importante discussão sobre as relações trabalhistas tem ocupado a pauta do Governo Federal e do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Alguns dos assuntos tratados ainda são polêmicos e estão sendo avaliados, mas em geral a discussão ruma para um ordenamento jurídico mais favorável à inclusão social.

Algumas medidas já foram aprovadas e constam nas súmulas do TST como, por exemplo, o fato de que a partir de agora o funcionário que sofrer um acidente de trabalho passa a ter o direito à estabilidade no emprego, mesmo quando o contrato de trabalho for temporário. Da mesma forma, o TST entende que a demissão sem fundamento de um trabalhador portador de uma doença grave que suscite estigma e/ou preconceito é passível de anulação.

A nova jurisprudência quer levar em conta os avanços econômicos e as inovações tecnológicas para rever a questão do emprego formal. Um dos pontos mais importantes no que diz respeito à salvaguarda que as empresas precisam ter para desenvolverem instrumentos de inclusão de pessoas que, por conta de uma deficiência ou um transtorno mental, não conseguem cumprir a jornada de trabalho integral é o reconhecimento da validade da jornada de 12 horas. São mudanças significativas e que precisam ser implementadas com responsabilidade, por parte do governo, das empresas e dos sindicatos. Vamos continuar acompanhando este processo torcendo para que não tome rumos de retrocesso.